Obras viárias no GDF, Complexo Governador Roriz, mobilidade melhora na cidade

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

GDF finaliza Complexo Viário Governador Roriz

São 23 viadutos, 4 pontes, 14 km de ciclovia e 28 km de asfalto para mais de 100 mil motoristas. Investimento de R$ 220 milhões e 770 empregos gerados

ANA LUIZA VINHOTE E IAN FERRAZ, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: RENATA LU
Adaptações: Alexandre Torres
Guará News

Uma das maiores obras viárias já feitas na história do Distrito Federal será inaugurada nesta quarta-feira (12). Desde 2019, o Governo do Distrito Federal (GDF) priorizou a construção do Complexo Viário Governador Roriz, que compreende o Trevo de Triagem Norte (TTN) e a Ligação Torto-Colorado (LTC).

Foram feitos 23 viadutos, quatro pontes, 28 quilômetros de vias e 14 de ciclovia. O complexo beneficia mais de 100 mil motoristas que trafegam pela Saída Norte diariamente, gerando uma redução de até 55% de tempo nas viagens.

O diretor-geral do DER/DF, Fauzi Nacfur Jr, lembra que antes da gestão atual acelerar as obras da Saída Norte, a mobilidade na região estava esquecida. “Vamos dar mais conforto para os usuários que trabalham no Plano Piloto e utilizam esses trajetos, como de Sobradinho, Planaltina, Lago Norte. Antes mesmo dos serviços serem finalizados, os motoristas diminuíram o tempo que passam no trânsito de 1h30 para 40 minutos, por exemplo”, informa.

Com o trabalho integrado do governo local, Fauzi Nacfur Jr explica que foi possível agilizar as obras – que vinham em ritmo lento por anos. “Foi uma questão de gestão, de programação, de resolução de questões ambientais. Viabilizamos junto ao BNDES [Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social] e ao Banco do Brasil – financiadores dessa obra – o desembolso de recursos de uma forma mais acelerada para que a gente pudesse agilizar e concluir os serviços”, pontua.

| Foto: Renato Alves/Agência Brasília
Foi o trabalho integrado e de gestão do GDF que viabilizou o ritmo acelerado das obras. O financiamento veio do BNDES e do Banco do Brasil | Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília

Materiais de alta tecnologia

Os materiais utilizados para construir as obras de arte especiais são de alta tecnologia. Segundo o diretor de Obras do DER/DF, Cristiano Cavalcante, desde a terra, argila, areia, cascalho, ferro, madeira até a brita, todos garantem maior durabilidade. “A previsão de vida útil é de 50 anos, por exemplo, dando a segurança e conforto para a população da capital”, garante.

Engenheiro do DER/DF e responsável pelo trecho de 2,7 quilômetros – onde foram construídos cinco viadutos e uma ponte – nas imediações do balão do Torto-Colorado, Jarbas Martins, explica que o concreto utilizado nas estruturas foi armado. “Usamos o concreto autoadensável que dá uma resistência maior e mais rápida. Dessa forma, é possível dar agilidade na execução das obras”, afirma.

 

Você também pode querer ler