Eddy é um policial bom de faro. Pastor belga é treinado para localizar armas e drogas

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Por Mara Puljiz, G1 DF

Adaptações: Alexandre Torres

Guará News


Eddy, pastor belga malinois do BPCães da PM do DF — Foto: Polícia Militar / Reprodução

Eddy, pastor belga malinois do BPCães da PM do DF — Foto: Polícia Militar / Reprodução

Eddy é um cão da raça pastor belga de malinois, treinado para localizar armas e, principalmente, drogas. Com três anos e meio de idade, ele é um dos animais com mais energia do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães), da Polícia Militar do Distrito Federal.

Há apenas dois anos no “serviço policial”, ele já participou de mais de 100 operações. No “trabalho”, Eddy farejou cerca de 80 quilos de drogas, além de encontrar armas e munições. Para se ter noção do desempenho dele, essa quantidade de entorpecentes é o total apreendido esse ano pela PMDF.

Eddy chegou filhote no BPCães. Com menos de um ano de vida, em 2018, ele começou a ser treinado como “recruta” da veterana Charlotte – que farejou 2,5 toneladas de maconha, na maior apreensão de drogas em Brasília, além de armas como um fuzil, pistola e munições.

Segundo o cabo Franque Salviano, que foi condutor de Charlotte, Eddy segue os passos da cadela, que está perto de se aposentar, e tem um futuro promissor.

“O diferencial do Eddy é que ele indica em pessoas a presença de algo ilícito, quando escondem no tênis, no bolso, na cueca. Poucos cães fazem isso”, diz o militar.

No último sábado (24), Eddy farejou porções de maconha no bolso de um passageiro, de 40 anos, que estava na área de desembarque da Rodoviária Interestadual de Brasília. “Ele sentiu a substância entorpecente, sentou e sinalizou. Quando o cachorro senta daquele jeito já sabemos que tem algo errado”, conta o cabo Mauro Sérgio de Jesus Fernandes, do BPCães.

Talento precoce

 

Os talentos de Eddy foram percebidos ainda filhote, quando ele descobriu uma mala com 40 Kg de maconha também na Rodoviária Interestadual. “Essa foi a primeira ocorrência dele. Era um treinamento e ele não estava indo para a rua, de verdade. No meio do treino ele indicou a mala e, depois disso, decidimos que ele estava formado e já podia trabalhar”, lembra o cabo Salviano.

“Ele é um cachorro super tranquilo e interage com os outros cães. Tem um temperamento bom e gosta muito do que faz. Muitas vezes o Eddy trabalha pra me deixar feliz. Ele vê que fico feliz e quer me deixar feliz também” , diz Salviano.

O policial militar conta que se sente realizado com o trabalho no batalhão de cães. “Pra mim, hoje estou no melhor emprego do mundo. Eu gosto muito de trabalhar com cachorro”, aponta.

Cão Eddy do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães) da PMDF. — Foto: PMDF / Reprodução

Cão Eddy do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães) da PMDF. — Foto: PMDF / Reprodução

Treinamento de cães

Ao todo, o BPcães do Distrito Federal tem 50 cães das raças pastor belga, labrador, pastor alemão e rottweiler. O treinamento dos cachorros começa desde os primeiros dias de vida, “para descobrir se o animal serve para o serviço policial”, explica o cabo Salviano.

“Depois, com três meses de vida, a gente começa a mostrar pra eles ambientes molhados, escuros, piso liso, que é o que ele vai se deparar quando estiver trabalhando, pra não estranhar”, diz o PM.

Os cães são treinados para identificar substâncias específicas, como drogas, armas ou mesmo explosivos. “Mas cada um na sua habilidade”, diz o cabo.

Treinamento BPCães DF — Foto: BPCães/PMDF

Treinamento BPCães DF — Foto: BPCães/PMDF

Apreensões de drogas feitas pelos cães da PMDF entre 2019 e 2021

  • 2019: 3.684 kg
  • 2020: 200 kg
  • 2021: 81kg (até 24/04)

Principais operações que envolveram cães no DF

Dezembro de 2018: 2,5 mil kg de drogas na BR-060

Nessa operação, Eddy ainda era “recruta”. Mas atuou ao lado da veterana colega Charlotte, que sinalizou para as equipes do Batalhão de Motopatrulhamento Tático (BMT) e do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães) que havia drogas escondidas em uma carreta, carregada de ração animal.

A carga vinha de Ponta Porã (MS) e tinha como destino a Bahia. O motorista foi preso em flagrante.

Cerca de 2,5 toneladas de maconha foram localizadas. Um fuzil, uma pistola 9 milímetros, munições e 2,5 kg de cocaína também foram encontrados.

2019: Rodoviária de Taguatinga

O cão Eddy encontrou um revólver calibre .38 e um bloqueador de sinal. Uma pessoa foi presa em flagrante por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e o bloqueador de sinal foi apreendido.

2019: BR-060 (próximo ao engenho das Lages)

Durante uma abordagem de rotina, em um ônibus interestadual na BR 060, Eddy localizou 1 kg de cocaína, tipo escama de peixe, no bagageiro inferior do ônibus.

 


Eddy, pastor belga malinois do BPCães da PM do DF — Foto: Polícia Militar / Reprodução

Eddy, pastor belga malinois do BPCães da PM do DF — Foto: Polícia Militar / Reprodução

 

“O diferencial do Eddy é que ele indica em pessoas a presença de algo ilícito, quando escondem no tênis, no bolso, na cueca. Poucos cães fazem isso”, diz o militar.

 

Cão Eddy, do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães) da PMDF encontra droga
  trabalho no batalhão de cães. “Pra mim, hoje estou no melhor emprego do mundo. Eu gosto muito de trabalhar com cachorro”, aponta.Cão Eddy do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães) da PMDF. — Foto: PMDF / Reprodução

Cão Eddy do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães) da PMDF. — Foto: PMDF / Reprodução

Treinamento de cães

 

Ao todo, o BPcães do Distrito Federal tem 50 cães das raças pastor belga, labrador, pastor alemão e rottweiler. O treinamento dos cachorros começa desde os primeiros dias de vida, “para descobrir se o animal serve para o serviço policial”, explica o cabo Salviano.

“Depois, com três meses de vida, a gente começa a mostrar pra eles ambientes molhados, escuros, piso liso, que é o que ele vai se deparar quando estiver trabalhando, pra não estranhar”, diz o PM.

Os cães são treinados para identificar substâncias específicas, como drogas, armas ou mesmo explosivos. “Mas cada um na sua habilidade”, diz o cabo.

Treinamento BPCães DF — Foto: BPCães/PMDF

Treinamento BPCães DF — Foto: BPCães/PMDF

Apreensões de drogas feitas pelos cães da PMDF entre 2019 e 2021

 

  • 2019: 3.684 kg
  • 2020: 200 kg
  • 2021: 81kg (até 24/04)

Principais operações que envolveram cães no DF

 

Cadela Charlotte, do BPCães, da PMDF, localizou 2,5 toneladas de maconha em uma carreta, em 2018, além de uma pistola e um fuzil

 

–:–/–:–

 

Cadela Charlotte, do BPCães, da PMDF, localizou 2,5 toneladas de maconha em uma carreta, em 2018, além de uma pistola e um fuzil

Dezembro de 2018: 2,5 mil kg de drogas na BR-060

Nessa operação, Eddy ainda era “recruta”. Mas atuou ao lado da veterana colega Charlotte, que sinalizou para as equipes do Batalhão de Motopatrulhamento Tático (BMT) e do Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães) que havia drogas escondidas em uma carreta, carregada de ração animal (veja vídeo acima).

A carga vinha de Ponta Porã (MS) e tinha como destino a Bahia. O motorista foi preso em flagrante.

Cerca de 2,5 toneladas de maconha foram localizadas. Um fuzil, uma pistola 9 milímetros, munições e 2,5 kg de cocaína também foram encontrados.

2019: Rodoviária de Taguatinga

O cão Eddy encontrou um revólver calibre .38 e um bloqueador de sinal. Uma pessoa foi presa em flagrante por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e o bloqueador de sinal foi apreendido.

2019: BR-060 (próximo ao engenho das Lages)

Durante uma abordagem de rotina, em um ônibus interestadual na BR 060, Eddy localizou 1 kg de cocaína, tipo escama de peixe, no bagageiro inferior do ônibus.

2019: QNM 4 de Ceilândia

Eddy indicou que havia drogas embaixo de um armário, em uma caixa fechada. Ao abrir, a caixa, os policiais localizaram um revólver calibre .32, além de 59 munições, 50 porções de maconha (300g) e 28 porções de cocaína (200 g).

2020: Rodoviária Interestadual de Brasília

Eddy sentiu o cheiro de maconha a cerca de 60 metros de distância, segundo o Batalhão de Cães. Ele encontrou 40 kg da droga, em uma mala, no saguão de espera da rodoviária.

2020: Epia Norte Km 13

Durante a abordagem a uma carreta, que ia de Anápolis (GO) para Planaltina, no DF, Eddy encontrou um tablete de maconha, com aproximadamente 1 kg. A droga estava escondida em um fundo falso, na cabine do caminhão.

2020: em frente ao Centro Administrativo do GDF

Durante abordagem de rotina a ônibus interestadual, o cão Eddy localizou 1 kg de crack e 600 gramas de cocaína, no bagageiro superior do ônibus. Como não foi possível vincular a bagagem a ninguém, a PM levou o entorpecente para a delegacia, e a droga foi apreendida.

2020: Rodoviária Interestadual de Brasília

Eddy encontrou 1kg de maconha e 600 gramas de cocaína na bagagem de um homem que estava comprando passagem com destino a Barreiras, na Bahia.

Adaptações: Alexandre Torres

Guará News

 

Você também pode querer ler