Vigilantes das unidades de saúde entram em greve por atraso de salário

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Vigilantes das unidades de saúde entram em greve por atraso de salário

Além do pagamento, que deveria ser efetuado no quinto dia útil deste mês, a categoria reivindica o vale alimentação, também em atraso


(foto: Lucas Pacífico/CB/D.A Press)

Os vigilantes das unidades de saúde do Distrito Federal estão há mais de 18 horas de greve. O motivo é a falta de pagamento do salário e do vale alimentação, referentes a outubro e que deveriam ser pagos no quinto dia útil deste mês. O atraso já chega a 13 dias.

O presidente do Sindicato dos Vigilantes do Distrito Federal (Sindesv-DF), Paulo Quadros, contou ao Correio que a empresa Ipanema, terceirizada que presta serviços aos hospitais, promete efetuar o pagamento do atrasado diariamente, no entanto, segundo ele, o valor ainda não entrou na conta de nenhum dos trabalhadores.
”Não é a primeira vez que a empresa atrasa o pagamento deles. A gente tentou resolver de forma administrativa, mas os funcionários tiveram que chegar ao ponto de paralisar as atividades. É algo que está acontecendo constantemente. Teve um mês que demoraram quase 17 dias para pagar. Isso não é justo”, disse o presidente do Sindesv-DF.
Paulo informou que, na tarde desta terça-feira (19/11), representantes do sindicato têm uma reunião no Palácio do Buriti com os secretários da Fazenda e da Saúde. ”Vamos lá tentar resolver alguma coisa. A empresa disse que pagaria ainda hoje. Se acontecer, eles voltam ao trabalho hoje ainda. A gente espera que cumpram com o combinado”, ressaltou.
Por meio de nota, a Secretaria de Saúde informa que não tem medido esforços para solucionar o problema com a Ipanema. No entanto, a empresa não apresentou, novamente, os documentos comprobatórios da sua regularização fiscal.
“Em reunião realizada ontem (18/11), ficou definido que a SES pagará ,até o fim do dia de hoje (19/11), a fatura de setembro da Ipanema Segurança. Com esse pagamento, a empresa se comprometeu a regularizar a situação com os seus funcionários tanto da limpeza quanto da segurança”, diz o texto.
A pasta afirmou ainda, que o pagamento será feito com dedução dos impostos devidos, conforme o disposto Decreto nº 32.598, de 15 de dezembro de 2010, que aprova as Normas de Planejamento, Orçamento, Finanças, Patrimônio e Contabilidade do Distrito Federal. A empresa tem um novo prazo de 30 dias para quitar os seus débitos fiscais e comprovar a documentação.
Adaptações: Alexandre Torres
Guará News

Você também pode querer ler