T 35ºC nesta sexta; umidade será de 15%, cuidados com a saúde são necessárias

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Não há chances de chuva, prevê o Inmet. No entanto, há possibilidade de pancadas em áreas isoladas no fim de semana

A temperatura máxima pode chegar a 35ºC nesta sexta-feira (4/10). A umidade será de 15%

O clima seco e quente continua em todo o Distrito Federal nesta sexta-feira (4/10). De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura máxima pode chegar a 35ºC à tarde. Não há chances de chuva durante o dia.

umidade relativa do ar varia entre 50% e 15%. O índice menor será registrado no horário mais quente, entre 15h e 16h. O céu ficará com poucas nuvens. A temperatura mínima foi registrada nas primeiras horas da manhã. No centro da capital chegou a 19ºC. No DF, a mais baixa foi em Planaltina, 16ºC.

Para o fim de semana, o Inmet prevê pancadas de chuva em áreas isoladas. “Tanto para sábado quanto para domingo existe essa possibilidade. Haverá uma pequena melhora no tempo nesses dois dias. Porém, na próxima semana o tempo quente e seco volta a predominar”, afirmou o meteorologista Heráclio Alves.

Durante o período de seca no DF, o instituto alerta para cuidados especiais com a saúde. Entre eles, ingerir bastante água, evitar exercícios físicos ao ar livre entre 10h e 16h e apostar em uma alimentação mais leve, como frutas.

A falta de chuvas e a baixa umidade do ar são fatores de risco para o aumento da frequência de crises de doenças respiratórias como a asma, a bronquite e a rinite alérgica.

Isso acontece porque quando o tempo está seco demais, o número de partículas de poeiras e substâncias tóxicas presentes no ar aumenta consideravelmente, ampliando as chances de irritação da mucosa nasal de crianças e adultos.

Além disso, com o ar mais seco, as células do organismo, especialmente da pele e de mucosas como boca, nariz e olhos, perdem a sua hidratação natural. A falta de água e sais minerais provocam uma série de desconfortos, como o ressecamento dos olhos e das vias aéreas, dores de cabeça e indisposição.

No entanto, algumas medidas simples podem ajudar a prevenir e tratar os incômodos das doenças respiratórias agravadas pelo tempo seco. Saiba mais!

Saiba como prevenir e tratar doenças respiratórias no tempo seco

1. Capriche na hidratação

Para combater a evaporação da água nas vias aéreas e prevenir o surgimento de doenças respiratórias, hidratação é a palavra-chave. Além de aumentar o consumo de água, outras medidas podem ser tomadas para evitar ou atenuar desconfortos:

  • faça lavagens nasais com soro fisiológico, que livram a região da poeira e aumentam a umidificação;

  • estimule os pequenos a ingerirem frutas ricas em água, como melão e melancia;

  • utilize um colírio prescrito por um pediatra de sua confiança para aliviar o desconforto nos olhos.

É importante lembrar que, além das doenças respiratórias, a falta de hidratação em períodos mais secos também aumenta os riscos de que os pequenos contraiam viroses e infecções bacterianas, já que os agentes causadores aderem com maior facilidade à células ressecadas.

2. Evite o uso do ar condicionado

Embora manter o ambiente refrigerado na medida certa seja importante para prevenir o surgimento de doenças respiratórias, o uso do ar condicionado deixa o ar ainda mais seco, agravando o problema.

Por isso, mantenha as crianças o mais longe possível de ambientes climatizados dessa maneira. Manter as janelas abertas e utilizar circuladores de ar são medidas que ajudam a deixar os espaços mais frescos sem aumentar o desconforto.

3. Utilize um umidificador

Utilizar um umidificador de ar nos ambientes ou mesmo uma toalha molhada ajuda a prevenir o surgimento de crises de doenças respiratórias como a asma e a rinite alérgica e atenuar os sintomas.

No entanto, tenha cuidado com os excessos: ligue o aparelho apenas na hora de dormir, para evitar que a umidade excessiva favoreça o surgimento do mofo, outro agente com potencial alergênico.

Por Alexandre Torres

  • Guará News
  • matéria complementar – correio Braziliense

Você também pode querer ler