Moradores revoltados fizeram manifestações, e obras de infraestrutura no Bernardo Sayão foram retomadas nesta segunda-feira (3)

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Máquinas e tratores estão a todo vapor no Lote 2 do Setor Habitacional. Previsão de entrega é 2021

AGÊNCIA BRASÍLIA*

As obras de infraestrutura do Setor Habitacional Bernardo Sayão foram retomadas nesta segunda-feira (3), em frente ao condomínio Pôr do Sol, localizado no Lote 02 da região. Elas haviam sido suspensas em função de alterações no projeto executivo e aditivo de prazo. “Todos sabem dos transtornos ocasionados pela realização de obras em uma cidade já habitada e em funcionamento. No entanto, somente com a conclusão dos serviços, será possível acabar com os problemas de poeira e alagamentos, assim como avançar na regularização do Setor”, ponderou Izídio Santos, secretário de obras do GDF.

O arquiteto Baltazar Júnior, morador da região, comemorou a retomada das obras. “Estamos bem contentes. Na chuva era muita lama. Na seca, poeira. Estamos ansiosos para que os trabalhos sejam concluídos o quanto antes”.

Dividida em cinco lotes, as obras no Setor Habitacional, até o momento, tiveram serviços realizados em três lotes (2, 3 e 4), totalizando uma execução de cerca de 5%. Os lotes 1 e 5 aguardam decisão judicial e atualização de projeto, respectivamente, para terem os serviços iniciados.

SOBRE A OBRA

As obras de urbanização no Setor Habitacional Bernardo Sayão, no Guará, incluem a execução de 32 km de rede coletora de águas pluviais e 46 km de pavimentação asfáltica, calçadas e meios-fios, num investimento de R$ 56 milhões, com recursos da Caixa Econômica (95%), por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e com contrapartida do GDF (5%). O valor final foi 35% menor do que o inicialmente previsto na licitação.

Os serviços começaram em 2017 e a previsão é de que sejam concluídos em 2021. As obras de urbanização de todo o setor, que tem uma área de 354,74 hectares, irão beneficiar aproximadamente 40 mil pessoas e terão um impacto na economia do Distrito Federal, gerando cerca de 130 empregos diretos e outros 350 indiretos.

*Com informações da Secretaria de Obras

Adaptações – Alexandre Nunes Torres

Guará News

Você também pode querer ler