Esta pouca vergonha tem que acabar. Operação da Polícia Civil apura denúncia de “rachadinha” na CLDF

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Operação da Polícia Civil apura denúncia de “rachadinha” na CLDF

Policiais cumpriram quatro mandados de busca e apreensão no Plano Piloto e Gama

Rafaela Felicciano/MetrópolesRAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

denúncia de pagamento de “rachadinha” na Câmara Legislativa é alvo da segunda fase da Operação Escalada. Policiais da Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor) cumpriram quatro mandados de busca e apreensão no Plano Piloto e Gama, nas primeiras horas desta segunda-feira (02/11/2019). O inquérito policial investiga oito pessoas.

A chamada “rachadinha” ocorre quando o político negocia com funcionários a devolução de parte dos vencimentos dos servidores. A primeira fase da operação foi em setembro deste ano. Na ocasião, o comissionado Deivid Lopes Ferreira foi alvo de mandado de prisão temporária.

Ele é suspeito de tráfico de influência e falsidade ideológica, além de outros crimes, que estão em apuração. À época, a PCDF também cumpriu outros dois mandados de busca e apreensão em endereços ligados a Ferreira.

Foram apreendidos uma dezena de cartões de crédito em nome de terceiros, o telefone pessoal do suspeito e ocorrências policiais impressas da 19ª DP (P Norte), que foi chefiada pelo delegado Fernando Fernandes (Pros), que reassumiu a vaga de distrital recentemente.

O assessor seria indicação de Fernando Fernandes. Ele passou a ocupar o cargo de chefe de gabinete de Telma Rufino (Pros) em fevereiro deste ano, com salário de aproximadamente R$ 17 mil, sem contar os complementos. A parlamentar não é investigada.

Fernandes nega que tenha indicado Deivid Lopes Ferreira. “No entanto teve, sim, o meu aval para trabalhar no gabinete, devido à sua experiência legislativa. Estava habilitado legalmente para trabalhar naquela Casa”, ressaltou na ocasião.

ara cumprir os mandados, os policiais civis foram em uma casa no Gama e em um flat no Setor Hoteleiro Norte, onde o suspeito acabou preso.

Adaptações: Alexandre Torres

Guará News

Você também pode querer ler