Prioridade da CLDF: Prudente quer chamar todos os aprovados em 2020, fala sobre seus projetos aprovados e sua relação com o executivo, confira

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Concurso da CLDF: Prudente quer chamar todos os aprovados em 2020

Em entrevista, ele também fez uma avaliação do seu primeiro ano à frente da Casa, além de elencar outros desafios

André Borges/ Esp. Metrópoles

ANDRÉ BORGES/ ESP. METRÓPOLES

Uma das prioridades do presidente da Câmara Legislativa do DF (CLDF), Rafael Prudente (MDB), neste ano de 2020, é acelerar o processo de convocação dos aprovados no último concurso público realizado na Casa. “Até dezembro, temos a missão de zerar essa fila”, disse.

O tema é apenas um entre os tantos espinhosos que o 01 do parlamento local pretende resolver. Em entrevista , o emedebista também falou da votação de projetos polêmicos, da relação com o Executivo, denúncias de corrupção envolvendo colegas e de ações para economizar, a exemplo da devolução aos cofres do DF, em 2019, de R$ 57 milhões de recursos poupados na CLDF. “Esse montante não poderia ser usado para pagamento de pessoal, por conta da LRF [Lei de Responsabilidade Fiscal].

Veja abaixo os principais trechos

Relação com o Executivo

Durante 2019, o governador Ibaneis Rocha (MDB) enviou projetos considerados polêmicos. Alguns deles, como a criação do Instituto de Gestão Estratégica da Saúde (Iges-DF), foram aprovados. Outras matérias, como a que acaba com o pagamento de pecúnias, passaram, mas tiveram seus textos profundamente alterados em relação ao enviado ao Legislativo. Agora, o assunto a ser debatido é o aumento das passagens.

“O governador Ibaneis tem tido um diálogo franco não apenas com a presidência, mas com todos os deputados. Os projetos polêmicos ou não aprovados aqui foram todos por meio do diálogo. O que não dava para ser votado, nós simplesmente falamos que não era o momento e o governador entendeu nosso ponto de vista”, definiu.

Corrupção

Apesar de uma nova legislatura, com mais de dois terços dos distritais novatos, a Casa passou por momentos conturbados. Operações policiais, denúncias de violência familiar, “rachadinha” e falsidade ideológica. Em algum momento, todas acabaram parando no colo da presidência de Rafael Prudente, que precisou se manifestar sobre o comportamento dos colegas.

Ele ainda teceu comentários sobre a renovação da Casa. Para ele, o mais difícil passou: lidar no primeiro ano com a inexperiência dos novatos e conciliar as opiniões dos mesmos para aprovar projetos.

“Com o passar do tempo, os deputados pegam experiência e vão se adaptando ao rito da Casa. A Câmara reflete o desejo da população. Temos tido muita dificuldade de administrar a Casa porque cada um pensa de uma forma diferente. Toda a legislatura vai ser diferente, mas é assim porque a população é soberana”, explicou.

Reeleição

Rafael Prudente defendeu a aprovação da emenda possibilitando a reeleição dos membros da Mesa Diretora. Para o parlamentar, trata-se uma forma de equilibrar as forças dentro da Casa.

“O que fizemos foi atualizar a legislação. É como ocorre em outras 16 unidades da Federação. Eu, sem interesse na presidência, votei favorável no passado. Apenas democratizamos o processo na Casa. Tinha-se reeleição nas comissões, mas não se tinha na Mesa Diretora. Tanto é que tem presidentes de comissões que estão na função há oito anos. Não é apenas a reeleição do presidente, mas também dos demais membros da Mesa”.

Produtividade

Segundo o emedebista, tramitam na Casa 1,5 mil projetos apenas da atual legislatura. Se somados a requerimentos, moções e projetos de leis complementares, o número ultrapassa a marca de 11,7 mil propostas.

“A gente conseguiu, através de números, imprimir um ritmo diferente. Algumas questões internas precisavam caminhar e fizemos ajustes. Isso demandou muito trabalho neste primeiro ano, mas conseguimos um número muito maior de projetos aprovados. Em 2018, foram 108 . Em 2019, aprovamos 308 PLs. Se formos comparar com o início da antiga legislatura, em 2015, melhoramos a produtividade em 60%”, comemorou o chefe do Legislativo.

Aprovação

A rejeição ao Legislativo local, de acordo com pesquisa da própria Casa, caiu pela metade. Segundo os dados, ela passou de 46% em novembro de 2018, para 23% em novembro do ano passado. Levando-se em conta o mesmo período, ainda de acordo com o estudo, a aprovação subiu de 14% para 28%.

Para Prudente, os números ainda podem melhorar com a criação da TV Legislativa. O edital será lançado no próximo mês de março.

“Boa parte da população, quando se pergunta: ‘Você aprova a Câmara Legislativa?’ grande parcela dirá que não. Mas se perguntarmos se ela acompanha o trabalho, se sabe o que produziu, ela também não sabe. Critica para generalizar, como ocorre no Congresso e na maior parte das assembleias do país. Com isso [a TV], damos transparência para a população fazer uma avaliação melhor”, conclui Prudente.

Ainda na avaliação dele, 2019 foi produtivo. Em um só ano, foram implementados o Sistema Eletrônico Informatizado (SEI), o ponto-eletrônico, as placas fotovoltáicas para captação de energia solar, mudanças no programa Câmara Mais Perto de Você, além do painel eletrônico com reconhecimento biométrico dos distritais.

Você também pode querer ler