Aguardem, responsabilidade para o homem: cientistas preparam anticoncepcional masculino injetável

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Vem aí: cientistas preparam anticoncepcional masculino injetável

Pesquisadores indianos testam injeção que impede chegada do esperma ao pênis. Efeitos do medicamento seriam de 13 anos

iStockISTOCK
GLAUCIA CHAVES

Cientistas do Conselho Indiano de Pesquisa Médica têm uma boa notícia sobre planejamento familiar: o primeiro anticoncepcional masculino pode estar disponível em apenas seis meses. Após a finalização dos primeiros testes clínicos, eles esperam a aprovação dos órgãos de fiscalização de medicamentos do país para que o produto comece a ser comercializado.

O remédio idealizado pelos pesquisadores é uma injeção que será administrada nos testículos do paciente, que estará sob anestesia. O medicamento impedirá a produção de espermatozoides. Diferentemente dos anticoncepcionais femininos, que precisam ser tomados regularmente, a versão contraceptiva para homens terá 13 anos de duração.

A ideia é que o material sintético contido nas injeções bloqueie o tubo que forneceria esperma ao pênis. O polímero, conhecido como inibição reversível do espermatozoide sob orientação (RISUG, na sigla em inglês), é injetado no ducto deferente, túbulo que entrega o esperma dos testículos ao pênis, onde é liberado na ejaculação.

Caso seja bem-sucedida, a droga será a primeira desse tipo em todo o mundo. As pesquisas para o desenvolvimento do remédio já passaram por três rodadas de ensaios clínicos e envolveram 303 participantes. De acordo com os pesquisadores, o novo anticoncepcional injetável demonstrou 97,3% de eficácia e não causou efeitos colaterais.

Nos Estados Unidos, os contraceptivos masculinos chegaram à fase de testes clínicos, porém foram cancelados devido aos efeitos colaterais relatados pelos homens. Curiosamente, os efeitos adversos são semelhantes aos causados pelos anticoncepcionais femininos: manchas, sangramento, ganho de peso, alterações de humor, náusea, acne, inchaço e sensibilidade nas mamas. (Com informações do portal Daily Mail)

Adaptações: Alexandre Torres

Guará News

Você também pode querer ler