Situação crítica para adquirir vaga na rede particular em UTI destinada ao Covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Na manhã desta segunda (12/4), há 16 hospitais particulares com UTIs Covid 100% ocupadas no DF. Não há vaga para criança

 8:58

Vice-governador Paco Britto entrega oito leitos da UTI neonatal do HMIB
Rafaela Felicciano/Metrópoles
O índice de ocupação de unidades de terapia intensiva (UTIs) voltadas para pacientes com Covid-19 na rede particular do Distrito Federal está em 99,7% no início da manhã desta segunda-feira (12/4). Os dados constam no sistema InfoSaúde, do Governo do Distrito Federal (GDF), atualizado às 7h10.

Neste momento, há 402 leitos de UTI Covid preenchidos. O único leito de UTI disponível para o tratamento da doença na rede particular é adulto, não havendo vagas para crianças. Outros 41 encontram-se bloqueados.

São 16 hospitais com UTIs Covid particulares 100% ocupadas no DF. Há vaga somente no Hospital São Francisco.

Rede pública

Na rede pública de saúde, o índice também permanece elevado. Até as 8h10, a ocupação dos leitos de UTI estava em 96%.

Atualmente, há 416 leitos públicos para Covid-19 preenchidos e 18 vagos. Entre os disponíveis, três são neonatais; um, pediátrico; e 14, adultos. Outros 16 aguardam liberação.

Há seis hospitais com leitos de UTI Covid públicos 100% ocupados no DF. Existem vagas no Hospital de Base (uma adulta), no Hospital da Criança (uma pediátrica), no Hospital de Campanha da Polícia Militar (cinco adultas), no Hospital de Santa Maria (três adultas), no Hran (três neonatais), no HRC (uma adulta), no HRS (uma adulta), no HRSam (uma adulta), no São Francisco (uma adulta) e no Daher (uma adulta).

Pessoas entre 46 e 68 anos são as que mais têm ocupado leitos públicos na capital. A idade que mais preenche UTIs Covid neste momento é: 59 anos, com 17 pessoas internadas na rede pública para tratamento da doença.

Ainda conforme os dados do painel do GDF, 85,6% dos pacientes em UTIs públicas ficam internados por até 15 dias para tratar o novo coronavírus. Outros 11% ficam até 30 dias, e 3,37% passam mais de um mês no leito.

A lista de espera por UTI na rede pública permanece longa. Até as 7h45 desta segunda, somava 255 pessoas com suspeita ou confirmação de infecção pelo novo coronavírus. A fila por UTIs em geral tem 100 pacientes a mais, totalizando 355.

Adaptações: Alexandre Torres

Guará News

Você também pode querer ler