Secretário de saúde do DF pede mais doses ao governo federal

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email
Vacinação no DF deve começar entre fim de janeiro e início de fevereiro, afirma secretário de Saúde

Ministro da Saúde recebe pedido por mais doses de vacina para o DF

Solicitação foi feita pelo secretário de Saúde, Osnei Okumoto, e pelo presidente do Iges-DF, Gilberto Occhi

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: RENATA LU
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga (ao centro) sinalizou que o ministério está sensível às reivindicações e aberto para trabalhar em parceria para melhorar a saúde pública do Distrito Federal | Foto: Divulgação

A luta para que mais doses da vacina contra a covid-19 cheguem aos moradores do Distrito Federal levou nesta terça-feira (30) o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, e o presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF), Gilberto Occhi, ao gabinete do novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

“Vamos aprofundar as discussões, sobretudo, para aprimorar a assistência no DF. Eu estive ontem no Hospital de Base. Cheguei lá de surpresa e fui muito bem recebido. Encontrei a equipe trabalhando para beneficiar toda a sociedade de Brasília. Teremos aqui uma parceria muito forte”Marcelo Queiroga, ministro da Saúde

Eles explicaram ao ministro que, por causa da localização, a capital do País vem recebendo moradores de municípios vizinhos da região do Entorno, especialmente de Goiás, que lotam a rede de saúde distrital em busca de imunização contra o coronavírus.

Essa procura não programada tem prejudicado o atendimento à população local, tanto que a Secretaria de Saúde estuda a possibilidade de exigir comprovante de residência para garantir que nos postos da rede só sejam vacinados os moradores das regiões administrativas do DF. Caso o Ministério da Saúde amplie o número de doses, o DF poderá atender também parte dos moradores do Entorno, segundo a secretaria.

Okumoto e Occhi também reivindicaram que o ministério aumente a quantidade de medicamentos destinados a Brasília para tratamento de pacientes com covid-19. Foram solicitados, ainda, equipamentos hospitalares, como acelerador linear para tratamento oncológico, aparelhos para hemodiálise e monitores multiparamétricos. O aparato tecnológico atenderá diversas áreas, entre elas a Oncologia, a Nefrologia e a Terapia Intensiva (UTI), tanto em unidades da Secretaria de Saúde quanto do Iges.

“É de fundamental importância que o DF e o governo federal estejam alinhados para fortalecer o sistema de saúde, principalmente diante da pandemia”Osnei Okumoto, secretário de Saúde do DF

Forte parceria

Queiroga sinalizou que o Ministério da Saúde está sensível às reivindicações e aberto para trabalhar em parceria para melhorar a saúde pública do Distrito Federal. “Vamos aprofundar as discussões, sobretudo, para aprimorar a assistência no DF”, afirmou. “Eu estive ontem no Hospital de Base. Cheguei lá de surpresa e fui muito bem recebido. Encontrei a equipe trabalhando para beneficiar toda a sociedade de Brasília”, declarou o ministro. “Teremos aqui uma parceria muito forte.”

Osnei Okumoto agradeceu a receptividade de Queiroga. “É de fundamental importância que o DF e o governo federal estejam alinhados para fortalecer o sistema de saúde, principalmente diante da pandemia”, ressaltou o secretário. “Neste momento, precisamos concentrar todos os esforços em busca da melhor assistência à população do DF”, complementou Occhi, ao lado do diretor de Atenção à Saúde do Iges, Jair Tabchoury Filho, e de outras autoridades da Secretaria de Saúde.

O clima de formalidade da reunião foi quebrado pelo próprio Queiroga. Ele aproveitou o encontro para lembrar que Occhi ocupou o mesmo cargo no governo Michel Temer. “Estou recebendo no Ministério da Saúde meu ilustre antecessor, Gilberto Occhi”, brincou. “É uma grande satisfação tê-lo aqui. O senhor já me recebeu como ministro e, agora, é a minha vez.”

*Com informações do Iges-DF

Adaptações: Alexandre Torres

Guará News

Você também pode querer ler