Museu da Educação do DF sairá do papel após 20 anos de espera

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Museu da Educação do DF sairá do papel após 20 anos de espera

Iniciativa conta com apoio das Secretarias de Meio Ambiente e de Educação, que ajudou na elaboração de um projeto arquitetônico sustentável

AGÊNCIA BRASÍLIA *
Questões pendentes para a liberação da obra, de acordo com o secretário Sarney Filho (de branco), serão equacionadas pelo Ibram | Foto: Divulgação / Secretaria do Meio Ambiente

Os detalhes finais para a construção do Museu da Educação do Distrito Federal, um sonho antigo de professores pioneiros da capital, foram discutidos nesta sexta-feira (02) em reunião entre os secretários do Meio Ambiente, Sarney Filho, da Educação, Rafael Parente, o presidente do Instituto Ambiental Brasília (Ibram), Edson Duarte, e líderes do grupo responsável pela iniciativa.

O secretário Pedro Parente defendeu a importância do novo museu para o resgate, preservação e difusão da memória da educação a partir de 1960, quando Brasília foi criada durante o governo do ex-presidente Juscelino Kubitschek. “O museu, planejado para funcionar no Parque Vivencial da Candangolândia, vai divulgar o acervo reunido nas últimas décadas, ajudando a fomentar novas pesquisas e a difundir produções educativas dirigidas aos estudantes e à população”, afirmou.

As questões ainda pendentes para a liberação da obra, de acordo com o secretário Sarney Filho, serão equacionadas pelo Ibram, o que permitirá o licenciamento da obra. A iniciativa conta com apoio da Secretaria de Educação, que ajudou na elaboração de um projeto arquitetônico sustentável.

O terreno de dois hectares em que será instalado o museu foi cedido pelo Instituto Brasília Ambiental. A obra ficará a cargo da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap).

A coordenadora do projeto, Eva Waisros, adiantou que o acervo que será abrigado na sede física envolve fotos, documentos, áudios e vídeos. “São entrevistas importantes com professores, gestores e estudantes dos primeiros anos de inauguração da nova capital, quando se pensou num modelo de ensino inovador, incorporando a escola no dia-a-dia da comunidade”, afirmou a coordenadora.

O presidente do Ibram, Edson Duarte, garantiu que nos próximos dias será emitido o documento que permitirá à Novacap concluir o processo necessário para a regularização.

* Com informações da Secretaria do Meio Ambiente.

Você também pode querer ler