Mais ricos têm rendimento 15,8 vezes maior que os mais pobres no DF

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Por G1 DF

 


As folhas de pagamento dos meses de maio e junho, e a primeira parcela do 13º salário, devem injetar mais de R$ 663 milhões na economia local, segundo a prefeitura — Foto: Tuno Vieira/ArquivoAs folhas de pagamento dos meses de maio e junho, e a primeira parcela do 13º salário, devem injetar mais de R$ 663 milhões na economia local, segundo a prefeitura — Foto: Tuno Vieira/Arquivo

As folhas de pagamento dos meses de maio e junho, e a primeira parcela do 13º salário, devem injetar mais de R$ 663 milhões na economia local, segundo a prefeitura — Foto: Tuno Vieira/Arquivo

Os dados fazem parte da Síntese de Indicadores Sociais (SIS) do IBGE. Segundo o levantamento, a diferença entre a camada mais rica e a mais pobre no DF é a quarta maior do país. Brasília está atrás apenas de:

  1. Belém (PA): 21,3 vezes
  2. Vitória (ES): 19,3 vezes
  3. João Pessoa (PB): 19,1 vezes

O índice da capital também é maior que a média nacional. Em todo o Brasil, os mais ricos ganharam no ano passado, em média, 13 vezes mais que os mais pobres.

Composição racial

Ainda de acordo com o levantamento, há uma grande disparidade nos salários de brancos e negros no DF.

Rendimento domiciliar per capita médio no DF, por sexo e cor ou raça
R$HomemMulherBrancoPardoPretoPreto ou pardo15001750200022502500275030003250
Fonte: IBGE

Entre a camada da população com maiores rendimentos, 61,1% se declararam brancas. Já entre os 10% das pessoas com as menores rendas, 72,2% afirmaram ser pretas ou pardas.

  • Taxa de jovens negros no ensino superior avança, mas ainda é metade da taxa dos brancos

    No ano passado, segundo o estudo, os negros ganharam apenas 53% do rendimento médio dos brancos.

    Renda e emprego

    A SIS mostra ainda que, em 2018, o rendimento médio dos moradores do DF foi o mais baixo desde 2012. O valor ficou em R$ 2.407. Mesmo com a queda, a capital mantém a maior renda per capita média de todo o país.

    Segundo a pesquisa, os homens ganham 1,4 a mais que as mulheres. Já os brancos ganham 1,5 a mais que os pretos e pardos.

    As pessoas com mais de 60 anos de idade têm rendimento médio 2,4 vezes maior que jovens entre 14 e 29 anos.

    Trabalhadores em empregos formais ganharam no ano passado, em média, duas vezes mais que os ocupantes de cargos informais. Entre os profissionais com carteira assinada, 73,3% são homens e 74% são brancos.

    Adaptações: Alexandre Torres

    Guará News

Você também pode querer ler