Já era hora. Xepa’ da vacina contra Covid será usada em profissionais de segurança, diz secretário Osnei Okumoto

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Por Carolina Cruz, G1 DF

 


Policiais militares do DF — Foto: Vinicius de Melo/Agência Brasilia

Policiais militares do DF — Foto: Vinicius de Melo/Agência Brasilia

O Secretário de Saúde, Osnei Okumoto, anunciou, nesta segunda-feira (29), que alguns profissionais de segurança serão atendidos com as doses que sobram, diariamente nos postos de vacinação contra a Covid-19, no Distrito Federal. Conhecida como “xepa”, as doses serãoapenas para aqueles que atuam “na linha de frente”, como segurança nos postos e escolta dos imunizantes.

A declaração foi feita em coletiva de imprensa, realizada no início desta tarde. Na ocasião, o chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, também afirmou que o governador Ibaneis Rocha (MDB) pretende “iniciar a vacinação das forças de segurança”, oficialmente, ainda “nesta semana” (saiba mais abaixo).

A xepa é o que sobra de doses da vacina após abertas. Cada frasco da CoronaVac contém 10 doses, que precisam ser aplicadas em até 8 horas no máximo, de acordo com informações do Ministério Público do Distrito Federal Territórios (MPDFT), que monitora as medidas do GDF. Já o imunizante Covishield, contém 10 doses e duração de 6 horas.

A regulamentação do uso da xepa deve ser detalhada em uma circular que está sendo editada pela Secretaria de Saúde. De acordo com informações do GDF, as doses serão “integralmente” destinadas aos profissionais de segurança.

Apesar das regras não estarem publicadas ainda, o secretário Osnei antecipou que trabalhadores “mais velhos” terão prioridade.

“Se tiver uma dose e dois policiais de escolta, essa dose vai ser usada para o profissional mais velho”, diz o secretário de Saúde do DF.

 

Em nota, a secretaria informou que “a escolta das vacinas é feita pela Polícia Federal do Aeroporto de Brasília para a Rede de Frio e pela Policia Militar até as Unidades de Saúde”. Ainda de acordo com a pasta, “a segurança nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) é feita pela Policia Militar”.

Policiais federais na fila

 

ÁUDIO: profissional de saúde relata que policiais federais tentaram vacinação no DF

ÁUDIO: profissional de saúde relata que policiais federais tentaram vacinação no DF

No sábado (27), policiais federais, que não atuam na linha de frente da pandemia entraram na fila da vacinação em um posto drive-thru, no Sudoeste. Ele alegaram que tinham direito ao atendimento por meio da xepa.

Os policiais federais citaram uma circular publicada no dia anterior, sexta-feira (26), que mencionava os profissionais de segurança na lista de categorias que poderiam receber a sobra de vacinas. No entanto, o documento coloca os profissionais de segurança em posição abaixo de outras prioridades, como trabalhadores da saúde e idosos.

Em pronunciamento enviado aos veículos de comunicação, o subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Alexandre Garcia, reforçou que “as doses remanescentes serão destinadas a grupos prioritários, dentro de uma hierarquização que já está estabelecida dentro da Secretaria de Saúde”.

A profissional de saúde que atendeu o grupo, de quatro agentes da PF, afirmou que eles foram “incisivos” e diziam que “não iriam sair da fila”. Na ocasião, foi preciso intervenção da Polícia Militar do DF, que prestava a segurança do posto, para que os agentes deixassem a unidade (ouça acima).

Em nota, a PF afirmou que “vai apurar as circunstâncias dos fatos”.

Vacinação de profissionais de saúde

Chegada de 59,8 mil doses da vacina Coronavac ao Distrito Federal, em imagem de arquivo — Foto: TV Globo / Reprodução

Chegada de 59,8 mil doses da vacina Coronavac ao Distrito Federal, em imagem de arquivo — Foto: TV Globo / Reprodução

A chegada de novas doses da vacina ao Distrito Federal ainda não tem data e nem quantitativo confirmados. No entanto, a previsão é de que isso ocorra nesta semana, diz o GDF.

Segundo o secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha, “a intenção do governador nesta semana é ‘abaixar’ a idade, dar sequência a vacinação dos profissionais de saúde e iniciar a vacinação das forças de segurança”.

Questionado sobre o critério de seleção dos profissionais, o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, reforçou que se trata dos agentes “da linha de frente”. O detalhamento, segundo ele, ainda está sendo levantado junto à Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF).

Sobre a inclusão de professores, outra categoria que, segundo Ibaneis Rocha, começaria a ser vacinada nesta semana, o secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha, afirmou que começará “tão logo finalize a das forças seguranças e atividades correlatas”.

Adaptações: Alexandre Torres

Guará News

Você também pode querer ler