Investigação apura desvio de luvas no Hosp. de Santa Maria no DF

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Por Afonso Ferreira e Walder Galvão, TV Globo e G1 DF

 


Fachada do Hospital Regional de Santa Maria, no Distrito Federal  — Foto: André Borges/Agência Brasília

Fachada do Hospital Regional de Santa Maria, no Distrito Federal — Foto: André

Borges/Agência BrasíliaA Polícia Civil do Distrito Federal identificou, nesta sexta-feira (23), dois funcionários do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) suspeitos de desviar e revender luvas. O prejuízo à unidade de saúde, segundo os agentes, chega a pelo menos R$ 100 mil.

O delegado à frente do caso, Paulo Galindo, da 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria), explica que pelo menos três pessoas são suspeitas de participar do esquema, porém, apenas duas foram identificadas.

O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF, à frente da administração do hospital, informou que recebeu denúncia anônima e acionou a polícia (veja mais abaixo).

Galindo reforça que as investigações tiveram início após a direção do hospital desconfiar do crime e acionar a polícia. Segundo o delegado, os lotes dos insumos constavam como recebidos, porém, não estavam nos armários.

Durante a ação da polícia, os investigadores apreenderam os celulares dos suspeitos, caixas de luvas e outros materiais objetivos com o lucro da revenda.

“Se trata de possível crime de peculato e associação criminosa, por envolver pelo menos três pessoas. As investigações continuam para identificarmos mais envolvidos”, explicou o delegado.

Denúncia anônima

 

Hospital Regional de Santa Maria, no Distrito Federal, em imagem de arquivo — Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Hospital Regional de Santa Maria, no Distrito Federal, em imagem de arquivo — Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

O Iges é responsável pela gestão dos hospitais de Santa Maria, de Base e das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) da capital. De acordo com a entidade, após uma denúncia anônima, técnicos da entidade constataram as divergências de estoque no sistema.

“Agora, a denúncia segue em investigação, sendo que o Iges está fornecendo todas as informações solicitadas”, informou.

 

O Iges-DF disse que, em caso de comprovação do desvio, “adotará todas as providências cabíveis, que podem resultar em demissão”.

“Reforçamos que o instituto possui controle rigoroso de distribuição de material e, se forem identificados outros casos comprovados, as devidas providências serão adotadas”, detalhou a nota.

Você também pode querer ler