Eventos virtuais vieram para ficar – o universo virtual se fez presente de uma forma intensa

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

De acordo com a pesquisa realizada pelo LinkedIn, 83% das pessoas acreditam que o formato digital continuará em alta nos próximos meses

Closeup of business woman hand typing on laptop keyboard

A expressão B2B (business to business), popular no inglês e bastante utilizada no Brasil, refere-se às empresas que vendem os seus produtos e serviços para outras empresas. Recentemente, em uma pesquisa realizada pela rede social de negócios LinkedIn, foi possível observar uma nova tendência para esse tipo de mercado, principalmente no que diz respeito à realização de eventos.

De acordo com a plataforma, estima-se que o mundo virtual se tornará cada vez mais presente no dia a dia da população. Esse formato tende a registrar o seu crescimento ainda neste ano. Segundo os entrevistados no estudo, 83% das pessoas defendem que o modelo digital continuará em alta nos próximos doze meses, com possibilidade de se estender ainda por mais tempo.

Monclair Cammarota, CEO da startup Gamifica.Ai, empreendedor digital e designer de experiências, explica que a pandemia desencadeada pela Covid-19 trouxe o avanço de muitas coisas, dentre elas o crescimento do mercado de eventos online.

“Com o coronavírus em circulação, o universo virtual se fez presente de uma forma intensa – tanto para trabalhar quanto para buscar diversão. Estamos enfrentando uma forte crise de saúde pública que exige cuidados extremos. Portanto, a possibilidade de estar em casa, desfrutando de bons momentos disponibilizados via computador ou smartphone, abriu a capacidade do mercado se inovar diante às adversidades atuais”, comenta.

Ainda de acordo com a pesquisa realizada pelo LinkedIn, 93% das pessoas consultadas acreditam que os eventos digitais deverão continuar no futuro. Além disso, 26,5% consideram que, mesmo após o período pandêmico, os eventos adotarão o formato híbrido, utilizando aspectos presenciais com streaming virtual.

“Os eventos online são considerados novidades para muitas pessoas. É inegável que o formato possui muitas vantagens que, até então, eram desconhecidas para boa parte da população. A metodologia, o alcance e os direcionamentos específicos são diferenciais que nenhum projeto presencial consegue fornecer com tamanha facilidade. Fora que o custo-benefício é melhor do que se imagina, já que é possível economizar em diversos aspectos”, destaca Cammarota.

O aspecto financeiro também é outro fator que, segundo o LinkedIn, exerce grande influência para a escolha de um formato de evento. Para os organizadores, 56% teve corte no orçamento e, portanto, 42% acredita que os eventos virtuais estão sendo realizados de forma mais econômica.

O foco dos empresários, na verdade, se destinou à qualidade do conteúdo oferecido ao público junto com o investimento publicitário acerca do projeto.

“É importante destacar que, ao migrar para uma plataforma virtual, é possível alcançar melhor o seu público. O empreendedor sai do físico e consegue atingir pessoas que podem estar, até mesmo, em outras cidades. Fora que, com o auxílio de métricas, é mais fácil analisar qual o ‘ingrediente’ que falta para conseguir impulsionar um negócio”, informa Cammarota.

Para o profissional, as empresas precisam se atualizar no mercado. O especialista ainda defende que é preciso que os empreendedores compreendam o novo formato de produto que os seus clientes buscam, pois, somente assim, será possível manter a atividade do seu nicho.

Sobre a Ekoá – A Ekoá Jogos e Gamificação tem como propósito elevar a realidade das empresas colocando as pessoas no centro da experiência. Criamos jornadas inovadoras para eventos, educação corporativa e processos de trabalho através de metodologias como: gamificação, UX, Jogos Empresariais, Design thinking, Métodos Ágeis, metodologias ativas de aprendizagem, Storytelling, Microlearning, entre outras. Criamos experiências que fundem o mundo físico e o digital de forma a promover o engajamento e atingimento de objetivos corporativos.

A indústria de jogos foi muito bem-sucedida em gerar prazer e engajamento. Os novos métodos de gestão promovem maior conexão entre as pessoas. O Movimento Maker revoluciona a educação baseado na ideia de que pessoas comuns podem construir, consertar, modificar e fabricar os mais diversos tipos de objetos e projetos com suas próprias mãos. A Ekoá conecta essas abordagens para criar as mais incríveis jornadas corporativas.

Alexandre Torres para Guará News

Informações:  Gabriella Collodetti – EKOÁ

Proativa Comunicação

 

 

Você também pode querer ler