Deputados distritais cobram plano contra variante de Covid-19 no DF

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Comissão Especial de Vacinação enviou à Secretaria de Saúde pedido para a formulação de estratégias voltadas ao monitoramento da variante

atualizado 17/02/2021 23:01

Seringa
Hugo Barreto/Metrópoles
Após a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) detectar a variante britânica da Covid-19 em Brasília, a Comissão Especial de Vacinação da Câmara Legislativa (CLDF) cobrou da Secretaria de Saúde um plano para o monitoramento específico da nova variante no Distrito Federal.

Comissão Especial de Vacinação enviou à Secretaria de Saúde pedido para a formulação de estratégias voltadas ao monitoramento da variante

Seringa
Hugo Barreto/Metrópoles

Segundo pesquisas preliminares, a variante pode ser até 35% mais letal do que outras cepas. Para o presidente na comissão da CLDF, deputado distrital Fábio Felix (Psol), é imprescindível a elaboração de um plano para monitoramento da questão.

Veja o ofício completo:

De acordo com a tabela de dados da Fiocruz chamada Demonstrativo de Linhagens e Genomas Sars-CoV-2, a variante B.1.1.7 foi identificada entre as 11 amostras enviadas à instituição. Ainda não há informações sobre a data das ocorrências ou sobre os pacientes do DF infectados.

A Secretaria de Saúde aguarda o envio oficial das informações por parte da Fiocruz. Mas o secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, reforçou que os cuidados preventivos contra a Covid-19 precisam ser cumpridos.

“Ainda não temos essa informação oficialmente. Precisamos receber as informações via Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-DF), mas reforço que os cuidados devem continuar a ser tomados: uso de máscara, distanciamento social”, pontou Okumoto.

Segundo o secretário de Saúde, o laboratório de referência nacional é o Instituto Adolfo Lutz, mas o DF “está checando essas amostras que foram analisadas na Fiocruz”, afirmou.

Entorno

Dois casos da variante britânica foram confirmados, recentemente, em Valparaíso e em Luziânia, cidades goianas situadas no Entorno do Distrito Federal.

Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) confirmou os casos, após ser notificada pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs).

Adaptações: Alexandre Torres

Guará News

Você também pode querer ler