Ano letivo: Escola em Casa DF já tem mais de 500 mil contas ativas

Ano letivo: Escola em Casa DF já tem mais de 500 mil contas ativas

O número de contas está perto do máximo possível, 630 mil. Ano letivo começa dia 29

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: ISABEL DE AGOSTINI

As 683 escolas da rede pública de ensino deram início, nesta segunda-feira(22), a um dos maiores desafios que já tiveram: realizar a enturmação virtual dos seus 456.109 estudantes, para que possam retomar o ano letivo, no próximo dia (29), com validação de frequência na plataforma nas três opções ofertadas pela Secretaria de Educação – Internet, com a plataforma Google Sala de Aula; teleaulas e atividades impressas entregues pelas unidades escolares.

Acolhimento

Até o fim deste primeiro dia desta semana de acolhimento foram registradas 525.766 contas ativas entre professores efetivos, substitutos, gestores e estudantes, sem contar com a educação infantil, que será enturmada até esta quinta-feira (25). Está perto de chegar ao limite de 630 mil contas possíveis.

“Considerando que temos esta semana para trabalhar, com certeza vamos iniciar o ano letivo, na semana que vem, com todos a bordo”, afirma David Nogueira, coordenador do Escola em Casa DF, esclarecendo que as contas ativas ainda não indicam uma preferência dos estudantes entre a Internet, TV ou impressos, porque todos devem abrir uma conta de e-mail para participar do programa. A conta dos estudantes é terminada em @estudante.se.df.gov.br.

Só será possível indicar a preferência dos estudantes até o final desta semana, embora o número de acessos à plataforma nos últimos 60 dias, entre 22 de abril e 22 de junho, tenha sido de 800 mil acessos de 156 mil usuários diferentes. David acredita que os acessos devem apresentar uma curva de crescimento expressiva durante esta semana e, especialmente, na próxima, início do ano letivo com registro de presença.

Todos os participantes do programa devem ter contas ativas, por isso o número ultrapassa muito a soma simples de professores e estudantes. Inclui ainda todo o pessoal da carreira de assistência à educação e das instituições parceiras da Secretaria de Educação, que atendem à educação infantil.

Levantamentos até o fim desta semana

“Os pais e estudantes que conseguiram acessar a plataforma nos deram retornos positivos. Estamos orientando aqueles com alguma dificuldade, principalmente por não estarem habituados ao e-mail de @estudante. Até o final desta semana será possível saber quantos vão participar pela plataforma e quantos precisarão de material impresso”, diz a orientadora educacional da unidade Danielle Aptta do CEF 3 de Sobradinho, com 1.140 alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental em 36 turmas.

A direção do CEF 3 fez um vídeo para os estudantes e suas famílias apresentando o novo jeito de estudar. A ideia foi tranquilizá-los. Também foram enviadas dicas de estudo para que eles saibam manter a calma na hora de ter contato com o conteúdo e reservem tempo para o estudo. A escola está apurando a necessidade que terá de material impresso por meio dos grupos por de mensagens organizados por turmas, muito embora esteja incentivando preferencialmente o uso da plataforma. “Alguns pais ainda estão receosos, mas estamos mostrando a eles que a plataforma pode ser mais útil nesse momento”, conta Danielle.

As reuniões com os pais dos alunos já começaram. Fotos: Divulgação

Campanha de doações e criatividade

Esta segunda-feira (22) foi um dia de ajuda mútua e esclarecimentos a professores, estudantes e seus familiares. A vice-diretora Juliana Cândida Pereira, Escola Classe Aspalha, reuniu a equipe gestora da unidade e bateu na tecla que vem batendo seguidamente: “Estamos realizando reuniões virtuais com as famílias por meio de aplicativos de vídeo e passando todas as instruções sobre o uso da plataforma, a necessidade da autorização para uso das ferramentas Google, a disponibilidade das atividades impressas e demais assuntos e dúvidas relacionadas”. A escola, que atende 221 estudantes do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, faz parte de uma rede integradora de crianças em situação de vulnerabilidade social residentes no Varjão, núcleos rurais do Lago Norte, Paranoá Park, Paranoá e Itapoã.

Juliana conta que a unidade tem feito campanha junto à comunidade para doação de computadores, tablets e notebooks que serão disponibilizados para os alunos que não possuem esses meios. Para doar, basta entrar em contato com a EC Aspalha pelo telefone 98206-3690 ou 3901-7537.

Por conta da pandemia e da distância entre a escola e as localidades onde moram os estudantes, a EC Aspalha montou um sistema de delivery semanal dos materiais impressos. Foram criados pontos de coleta em cada uma das regiões administrativas atendidas em que pais, mães ou responsáveis podem buscar os materiais.

“Para minimizar os transtornos, também tomamos a iniciativa de cadastrar os estudantes, gerar suas senhas e incluí-los nas turmas. Na próxima semana entregaremos os kits com os materiais que estão na escola, como cadernos, livros, lápis e borracha, para que eles realizem as atividades.

 

* Com informações Secretaria de Educação

Adaptações: Alexandre Torres

Guará News

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email