Anderson Torres, ex secretário do DF assume ministério e Bolsonaro diz. ” Tem sua própria Polícia Federal “.

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Bolsonaro deu posse ao novo ministro da Justiça, Anderson Torres

Pedro Caramuru, Matheus de Souza e Emilly Behnke

6 ABR 2021

Adaptações: Alexandre Torres

Guará News
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a defender nesta manhã (6) mudanças no Ministério da Justiça e Segurança Pública durante cerimônia de posse do novo chefe da pasta, Anderson Torres. Segundo destacou, o indicado terá sob seu comando “sua própria Polícia Federal”.

Não é fácil e não é um Ministério complicado, mas é um ministério que tem muita responsabilidade. Abaixo de você, ali, diretamente subordinada entre outras, né, a sua própria Polícia Federal”, disse Bolsonaro nesta manhã.

Advertências de ingerência na PF, em abril do último ano, feitas pelo ex-ministro e ex-juiz Sérgio Moro, levaram à demissão do ex-magistrado. À época, Bolsonaro pressionava pela troca no comando da Polícia Federal, o que, segundo Moro, poderia levar a “relações impróprias”.

Segundo Bolsonaro, durante cerimônia hoje, “é natural as mudanças”. “E a gente sabe que você Torres, todas as mudanças que efetuará no seu Ministério é para melhor adequá-lo ao objetivo, ao qual você traçou. Você quer o Ministério da Justiça o mais focado possível para o bem de todos em nosso País.”

O novo ministro agradeceu o convite feito pelo presidente destacando que a “Justiça e Segurança Pública são a espinha dorsal da paz e da tranquilidade da Nação, principalmente quando se passa por uma crise sanitária mundial”. O delegado da Polícia Federal também ressaltou que o combate ao crime organizado será um dos focos da Pasta em sua gestão. “Promoveremos políticas públicas efetivas, combateremos fortemente o crime organizado e faremos tudo que estiver ao nosso alcance para trazer mais paz, equilíbrio e serenidade à nossa Pátria Amada, Brasil!”, afirmou.

Troca do comando da PF

Torres deve trocar o comando da Polícia Federal, posto atualmente ocupado por Rolando Alexandre de Souza. A mudança teve o aval do presidente Jair Bolsonaro. Ainda não há definição sobre o futuro chefe da PF. Mas é certa a mudança. Nos bastidores da corporação já circulam nomes para a sucessão.

Próximo do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Torres assumiu o MJSP na semana passada – uma das seis trocas feitas pelo presidente em postos estratégicos do primeiro escalão do governo.

Em março, Rolando determinou algumas mudanças em superintendências regionais, como a troca no comando da corporação em São Paulo, onde o delegado Lindinalvo Alexandrino de Almeida Filho deu lugar a Dennis Cali.

A instituição passou por um período de forte turbulência no ano passado, quando a queda do então diretor-geral, delegado Mauricio Valeixo, foi exigida pelo presidente e acabou sendo o pivô da renúncia do ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro, em abril.

Você também pode querer ler