Home / Cidades / Dengue: casos no DF crescem 20% e chegam a 43,1 mil; são 40 óbitos
Últimas Notícias

Dengue: casos no DF crescem 20% e chegam a 43,1 mil; são 40 óbitos

Por Marília Marques, G1 DF

Adaptações: Alexandre Torres

Guará News

Teste de dengue; em imagem de arquivo — Foto: Divulgação

Teste de dengue; em imagem de arquivo — Foto: Divulgação

O Distrito Federal registou 43.128 casos prováveis de dengue em 2020. O número representa uma alta de 20,8% nas notificações na comparação com o mesmo período do ano passado – quando eram 35.722 registros.

Os dados constam no boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde, divulgado nesta sexta-feira (31), e são referentes o período de 29 de dezembro de 2019 a 18 de julho deste ano. Ao todo, 40 pessoas morreram.

De acordo com a pasta, o Gama é a região com a maior taxa de incidência da doença causada pelo mosquito Aedes aegypti. O índice é de 3.197,21 ocorrências a cada 100 mil habitantes. Em seguida, aparecem as regiões de Sobradinho II (2.998,10/100 mil habitantes) e Sobradinho I (2.842,69/100 mil habitantes). Na contramão, Sudoeste e Octogonal têm a menor incidência.

Óbitos

Dia D Contra a Dengue no DF, em imagem de arquivo — Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Dia D Contra a Dengue no DF, em imagem de arquivo — Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

  • Gama (10)
  • Ceilândia (4)
  • Samambaia (3)
  • Sobradinho (2)
  • Guará (2)
  • Planaltina (2)
  • Sobradinho II (2)
  • Lago Sul (2)
  • Recanto da Emas (2)
  • Taguatinga (2)
  • Santa Maria (2)
  • Vicente Pires (2)
  • Riacho Fundo II (1)
  • Paranoá (1)
  • Fercal (1)
  • Águas Claras (1)
  • Plano Piloto (1).

Ao todo, o DF registra 65 casos graves de dengue e 634 casos com sinais de alarme. Com o levantamento, é possível apontar que o DF está com “alta incidência” de casos.

Prevenção

Para evitar a reprodução do Aedes aegypti em casa e, consequentemente, reduzir os ataques do mosquito, o Ministério da Saúde reuniu uma série de orientações. Confira abaixo:

  • Utilize telas de proteção com buracos de, no máximo, 1,5 milímetros nas janelas da casa;
  • Deixe as portas e janelas fechadas, principalmente nos períodos do nascer e do pôr do sol;
  • Mantenha o terreno de casa sempre limpo e livre de materiais ou entulhos que possam ser criadouros;
  • Tampe os tonéis e caixas d’água;
  • Mantenha as calhas sempre limpas;
  • Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;
  • Mantenha lixeiras bem tampadas;
  • Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;
  • Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;
  • Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;
  • Limpe todos os acessórios de decoração que ficam fora de casa e evite o acúmulo de água em pneus e calhas sujas, por exemplo;
  • Deixe portas e janelas fechadas, principalmente nos períodos do nascer e do pôr do sol;
  • Coloque repelentes elétricos próximos às janelas – o uso é contraindicado para pessoas alérgicas;
  • Velas ou difusores de essência de citronela também podem ser usados;
  • Evite produtos de higiene com perfume, pois podem atrair insetos;
  • Retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa;
  • Coloque areia nos vasos de plantas.

Notícias Relacionadas

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*